Mercabá

Ícone

Obras da Patrística

Máximo, o Confessor, e a última grande batalha cristológica

Giovanni Reale

Máximo viveu de 579/580 a 662 e representa a última voz original da Patrística grega. Dentre as suas obras, podemos citar os poderosos Ambigua, traduzidos para o latim por Escoto Eríugena, nos quais são discutidas questões difíceis de Dionísio e Gregório de Nissa, e as Questões a Talássio, os sugestivos Pensamentos sobre o amor, em como os Pensamentos sobre o conhecimento de Deus e sobre Cristo, o Livro ascético, a Interpretação do Pai-Nosso, a Discussão com Pirro, a Mistagogia, numerosos Opúsculos Teológicos e várias Epístolas.

Máximo é importante tanto pelo aspecto filosófico (ele apresenta uma forma de neoplatonoimo repensado a fundo em função da teologia cristã) como pelo aspecto místico-ascético, e sobretudo pelo aspecto teológico, particularmente por sua cristologia.

Eis, por exemplo, um pensamento teológico essencial no que ele insiste e que parece uma refutação ante litteram de Lutero: ‘‘Eu tenho fé e basta-me a Fé em Cristo para a salvação’. Tiago, porém, o contradiz dizendo: ‘Os demônios também crêem e fremem’. E, em seguida: ‘A fé sem obras está morta em si mesma, como também as obras sem a fé.’’

Mas ele foi grande sobretudo pela batalha que travou com energia contra as últimas doutrinas que ameaçavam o dogma cristológico sancionado pelo Concílio de Calcedônia. Com efeito, se haviam difundido doutrinas que sustentavam que, em Cristo, existe uma só energia (monoenergismo) e uma só vontade (monteletismo) de natureza divina. Tratava-se de formas de cripto-monofisismo; Pois Máximo as refutou, demonstrando, com eficácia e grande tenacidade, que em Cristo há duas atividades e duas vontades: a divina e a humana. E assim conseguiu levar à vitória a tese de Cristo como verdadeiro Deus e verdadeiro homem. Mas pagou essa sua batalha com grandes sofrimentos: sua língua foi cortada, sua mão direita amputada e ele próprio foi mandado para o exílio. Por isso foi chamado ‘o Confessor’, ou seja, ‘Testemunha’ da verdadeira fé em Cristo, que ele chamou ‘o mais forte de todos, porque é e se diz Verdade.’

Arquivado em:São Máximo

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Blogroll- Brasil

Blogroll- Portugal

Blogroll- USA

Hinos

Música Sacra - Natal

Música Sacra - Páscoa

Música Sacra - Quaresma

Música Sacra- Advento

Site Meter

  • Site Meter

Sites

Wordpress

%d blogueiros gostam disto: